quarta-feira, 16 de março de 2016

Epifania

"Epifania é uma súbita sensação de entendimento ou compreensão da essência de algo"
 
Sabe quando perguntam como você está? Sempre achei certa graça como algumas pessoas respondem realmente como estão. Na minha opinião, aquele não passava de um "cumprimento" corriqueiro, onde ninguém quer mesmo saber como você está.
Com o passar do tempo, e essa minha condição de não interagir muito, pude perceber como a maioria das pessoas preferem um sorriso falso. É mais fácil lidar com as cascas do que com nossos problemas e, mais ainda, piorou com os dos outros.
Um vez postei essa imagem no meu Facebook para alguém muito especial, que precisava aprender a se valorizar mais, mas hoje essa imagem diz respeito a mim mesmo.
Nesses últimos anos, escorreguei tantas vezes, algumas delas cheguei a cair, mas algo sempre aconteceu. Independentemente do estrago do tombo ou do tempo que demorei, eu sempre levantei.  Sou o típico taurino teimoso.
Muitas pessoas deixaram de confiar na minha capacidade de transcender as situações, mas o mais importante sempre foi que eu respirava fundo, me agarrava nas paredes e levantava mais uma vez.
Cada um tem seu tempo de reação e eu tive que encontrar o meu. Para aquele cara assustado que esperava as pessoas da casa irem dormir para poder ir ao banheiro e que não conseguia comer mais que três colheres de sopa de comida, até que estou muito bem. Outro dia estava sozinho em casa e consegui atravessar a rua e entregar o meu óleo usado de cozinha para o homem do caminhão da coleta! Isso foi uma vitória! Talvez sem aplausos, mas eu sei a importância que isso teve em minha vida.
Ainda preciso da presença da Mandy para ir ao mercado ou para conseguir dirigir de casa até qualquer outro ponto da cidade, mas pra quem bambeava de ir até a padaria mesmo segurando a mão da irmã nove anos mais nova, eu estou ótimo.

Crise


Durante o mês eu tive uma crise desagradável e também explodi com a amiga da minha mãe de forma que considero violenta (não estou falando de agressões físicas e sim explosões emocionais). Se considero que regredi em alguma coisa? Não mesmo.
Meu caminho foi tão tortuoso até aqui, que esses escorregões são irrisórios perto do que já passei e não vou deixar isso me abalar mais do que o necessário. Eu choro quando estou triste (mesmo que seja escondido), reclamo quando as coisas não estão bem e brigo se for necessário, como qualquer pessoa normal. Sabe, eu descobri que a vida é efêmera para fingir ser quem não sou.
Na minha última sessão, mal conversei com minha psicóloga. Quase inundo o consultório dela da mesma forma que Alice fez no País das Maravilhas, mas algo muito bom aconteceu. Ela me perguntou se eu não queria recomeçar... recomeçar?
Visualizei aquelas cenas onde o Dr. House tem uma epifania sobre o caso de algum paciente. A palavra "recomeçar" ficou ecoando na minha cabeça. Sim, eu posso recomeçar! Sei que a pergunta dela era sobre o assunto em pauta no dia, mas o significado daquilo foi muito além em meus pensamentos.
Sei que vou passar um tempo amadurecendo a ideia, mas recomeçar é sempre muito bom.