segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Um Dia Depois Do Outro

Esses dias um amigo me disse que eu pareço sentir dó de mim. Fiquei pensando qual seria o motivo para ele chegar a essa conclusão. Certo, eu sou reclamão, mas pelo que me consta esse é um blog de desabafo, onde choro e sempre exponho até demais minhas limitações, meus sentimentos, meus erros... Na verdade, nem sei se ele lê meu blog, pois nunca deixou um único comentário.
Se ele não ler, significa que tirou essas conclusões pelas coisas que conversamos! Isso é ruim. Não acho que sentimentos de dó e pena são coisas boas para as pessoas sentirem de nós, piorou quando somos nós mesmos a sentir.

Reflexão


Algumas pessoas que acompanharam eventos passados da minha vida dizem que sou forte e muito
guerreiro. Discordo disso, pois tomamos decisões baseados em necessidades, mas isso não nos torna fortes. Guerreiro? Eu continuo caminhando, apenas isso, porque ficar parado deixa de ser uma opção quando a leva de pessoas atrás de você, simplesmente te empurram para dentro do vagão naqueles horários de mais movimento no metrô (igualzinho).
Não acredito que eu sinta pena de mim, mas gostaria que algumas pessoas entendessem que tenho limitações e respeitassem isso. Luto contra elas, tomo remédios, faço terapia e melhorei muito, mas também sei que tenho um longo caminho a percorrer. 
É tão simples dizer: "Volte para faculdade."
Acha mesmo que eu não voltaria se tivesse condições? 
Daí sempre tem alguém que diz: "Mas como você sabe se não tentou?"
Será que eu não sei minhas limitações? Hoje não vou até a padaria sozinho e quando vou acompanhado, mesmo assim, ainda tenho muitos sintomas desagradáveis.
Agora, a frase que eu mais gosto é: "Ai, você precisa de socializar, de ter gente a sua volta!"
Sério?! As pessoas deveria ler mais sobre fobias sociais, síndrome do pânico, depressão... coisas básicas para pararem de falar tanta bobagem. 
O fato de eu conversar pela internet já foi um grande avanço na minha vida. Não tenho dó de mim, porque fico feliz com meus avanços, com as minhas descobertas sobre mim mesmo e aprendi a viver com determinadas coisas até estar melhor. Claro que vou terminar minha faculdade, mas quando eu puder recomeçar e dar continuidade até me formar. Hoje em dia eu não sobreviveria a uma semana...
Tenho um casamento pra ir essa semana e já estou com o estômago revirado... Não tenho nada contra casamentos e nem vou ser padrinho, mas só de imaginar um salão de festas, cheio de gente, ambiente fechado, durante a noite... já estou péssimo!