quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Sozinho na Noite

 


 
"Sozinho na noite, feito um vagabundo e louco de amor
Faço das janelas meu palco de show
Me encolho, me humilho e canto o que sou
Um caso perdido, um amante da lua
Um incompreendido, um lixo da rua
É que sou poeta e poeta é louco
Tem amor demais, tem de tudo um pouco"
                           

                             - Bruno e Marrone