terça-feira, 10 de março de 2015

Diva

Você já sentiu orgulho de alguém?

Minha Diva Elis
É tão bacana quando vejo minha irmã mais nova progredindo na vida, mas também sei que ela tem tantas pessoas ajudando e incentivando... Não é que essa ajuda e incentivo apaguem os méritos dela, pois conheço pessoas que com toda ajuda e incentivo do mundo conseguem só fazer coisas ruins e erradas. Só que existem pessoas que sobrevivem, crescem e desabrocham dentro de tantas adversidades, que essas são especiais de uma forma diferente.

Ter orgulho das conquistas daqueles que amamos e que estamos próximos é um sentimento muito bom, mas reconhecer o valor de alguém que nossas ligações não são tão estreitas quanto com nossos familiares, que não temos uma participação ativa em suas vidas no dia a dia, mas que mesmo assim suas conquistas nos motivam e nos causam um orgulho genuíno, é um sentimento novo pra mim.

Daqueles que seguem o que escrevo, quem não conhece minha Diva Elis? Seus comentários são presentes em meu blog e ela sempre twitta meus posts, mas nossa amizade vai muito além dessas ligações de blogueiros que curtem o que um amigo virtual escreve. Outro dia ela postou que não entende porque a chamo de Diva, já que ela é apenas uma "criadora maluca". Divas são seres que nos trazem inspiração e a Elis me inspira pra vida.

 

Tenho orgulho dessa guria!


Zula (Grace Jones) a guerreira em Conan
Elisabeth, Quimera K, Quimera Lizzy ou Quim... Eu a chamo de Diva e outros a chamam de Elis, mas não sei se existe diferença realmente. A mesma pessoa maravilhosa e guerreira, que quer viver da arte porque vive em estado de inspiração, no liame do imaginário e real, assim como todos aqueles que tem alma de artista. Ela se descreve em um de seus blogues (sim você leu direito, em um dos...) como "preta, pobre e paranoica", já eu a descrevo como "mulher, guerreira, genial e diva", além de "atenciosa, carinhosa e amiga".

Por causa te um post onde ela escreveu: "Me desculpem, mas geralmente é dos guerreiros terem fé." que lembrei de Zula, a personagem interpretada por Grace Jones em Conan o Destruidor (ou foi em Conan o Bárbaro, não tenho bem certeza). Lembro da forte impressão que essa mulher me causou quando assisti o filme. Eu ainda era moleque, mas foi exatamente ali que descobri que mulheres podiam ser guerreiras, fortes e divas de verdade.

Gostaria que você conhecesse um pouco do trabalho dessa alma livre e maravilhosamente confusa que é a minha Diva Elis. Eu tenho os links na barra lateral, mas esse post é sobre ela, então vou linkar aqui também. (Só clicar na imagem que você será direcionado ao blog).

Dissociativa 

Quimera K


E por favor, dá uma olhada no post que ela escreveu pra mim no mês passado... Fiquei todo feliz!


Entre Anjos e Aliens