terça-feira, 27 de outubro de 2015

Doce Sonho

Hoje conheci alguém que faz uns poemas lindos, Marisa Teixeira. Uma moça de 22 anos, extremamente simpática e que, infelizmente, não publica a maioria das coisas que escreve.
Enquanto conversávamos, ela mandou esse poema para mim, o que deveria ser impessoal, mas acabou caindo como uma luva em minha história de vida. A princípio ela imaginou que eu não teria entendido a profundidade de suas palavras, mas na verdade, ela que não sabia como tinha acertado.

 

           Doce Sonho



Foi doce enferme sonho,
subjugado pela traição que te diminui,
é acesa, é gélida como lágrimas de gritos ecoados ...
É o químico que te deixam impotente,
é os raios que te deixam eloquente!
Já não sei mais, já soube mais, eu quero mais ...
Foi a fadiga, os pesadelos constantes, o ignorante!
Já não sei mais, já soube mais, eu quero mais ...