segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Lembranças de Infância!

Lembrei da minha época de moleque, quando estava aprendendo com meus primos mais velhos a andar de skate. Sim, eu andava de skate e me divertia muito!
Quando comecei, morria de medo de colocar o pé em cima dele e acabei descendo algumas vezes a rua da casa da minha avó sentado. Era legal, mas ainda não era exatamente o que eu queria.
Levei um tempo no processo de subir em cima dele e conseguir sair do lugar sem ser puxado ou empurrado, e quando achei que a coisa estava começando a ficar interessante, levei meu primeiro e fenomenal tombo. Ganhei um braço torcido (é o que eu me lembro), mas isso não foi o suficiente para me tirar da brincadeira. Joelhos ralados, mãos ferradas, roupas rasgadas e tênis estourados foram algumas das coisas que ganhei nessa época. Certo, nem vou falar dos sustos que levamos no cruzamento que ficava no final da ladeira e que muito de vez em quando passava carro, mas passava. Passava umas vacas também, mas isso fica pra outro post.
O que quero dizer com esta minha lembrança de infância, é que já estou acostumado a cair e levantar desde moleque bem novo. Levamos rasteira da vida, nos machucamos, levamos um tempo pra nos recuperarmos e lá vamos nós fazer tudo igualzinho, mas tentando não cair dessa vez.

Tapa na Cara


Tem um amigo que te esculacha quando você precisa ouvir aquela verdade que mais ninguém tem coragem de te falar? Se tem, conserve essa pessoa ao seu lado durante toda a sua vida. Esse alguém que grita com você e quase chora de nervoso porque você está agindo feito um imbecil, realmente te ama.
Não lembro se já falei aqui do Ramon, meu amigo de longa data, que quase é um primo (explico depois), mas na verdade é meu anjo da guarda. Ele é mais velho que eu, enfermeiro e lembraria Vera Verão de fosse um homem negro.
Deveria escutar mais os conselhos desse gay metido a besta, quem sabe assim, sofreria menos... :)