quinta-feira, 10 de setembro de 2015

D.E.S.E.S.P.E.R.O!

Hoje é um daqueles dias que eu só queria morrer...
Um trabalho pra entregar e a cabeça não funciona. Minha irmã foi pra escola, a casa está silenciosa... só meus pensamentos que martelam e martelam...
Fazia tempo que eu não me sentia tão sozinho, tão desamparado e triste.
Tantas vezes você me enviou isso!
No fundo eu sabia que ele ia me deixar, eu vi os dias passando e ele ficando diferente, mas eu não queria desacreditar nas coisas que ele falava... "Você é meu tudo"
Se realmente o problema fosse ninguém ver o que conversamos, existe o aplicativo Telegran pra quê? As mensagens apagam em segundos, é só você programar. Só que ele só soube dizer que não tinha jeito... 
Que não tinha jeito...
Eu me recusaria ficar passivo diante do que está acontecendo se eu não soubesse que o motivo que ele deu foi só uma desculpa pra me deixar...
Agora eu fico pensando onde eu errei, onde eu deixei de ser alguém agradável, onde eu pisei na bola pra pessoa que dizia me amar ter ido embora... Cobro demais, sufoco demais, quero demais de quem eu amo?
Ele dizia que gostava do meu jeito... 
A cabeça roda e o estômago roda junto... Um dia eu acreditei... ele me fez acreditar que eu nunca mais ia passar por isso!
Deus, como dói!! 
Eu imploraria se achasse que isso ia fazer ele voltar... mas ele deixou claro o suficiente que não tinha volta.
Implorar o que? Implorar pra me amar? Eu cheguei mesmo no fundo do poço!
Vergonha de existir! Vergonha de mim mesmo! Deixar esse blog no ar como demonstração de como é ser idiota? Pra quê? Pra outra pessoa vir, ler meus sentimentos e usar isso contra mim? 
Ele disse que se apaixonou pela forma que eu escrevo, passei sete meses praticamente escrevendo dele porque isso me fazia feliz, parecia que fazia ele feliz, mas no últimos posts ele só dizia: "Gostei muito".
Eu queria tanto entender onde foi que eu errei, onde foi que ele deixou de me amar... Queria aquela sensação de pertencer a ele de volta... mas quanto antes eu me conscientizar que acabou, menores vão ser os danos.
Adeus, meu amor... eu nunca quis ter que falar isso...eu não quero ter que falar!!