segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Puta, Vagabunda e Cadela Emocional!!

Carência é sinal de safadeza? Não quero mais sofrer, deixar alguém se aproximar, ganhar minha confiança e depois dizer que eu confundi as coisas. Claro, você confunde quando nenhum sinal é dado e então você fantasia.

Não digo nada do Wise, afinal ele é realmente um garoto e precisa amadurecer muito para não dizer coisas que as pessoas a sua volta não interpretem de maneira errada. Minha maldita carência turvou minha visão por tempo demais em relação a esse relacionamento que não deve passar de amizade. Por ele que tem 14 anos e por mim, que já tenho problema de sobra na vida.

Claro que gosto muito daquele guri, mas também gosto muito da minha irmã e é assim que tem de ser. É assim que vai ser.

Por que os Xingamentos?


Estou me sentindo um cachorro que abana o rabo para o primeiro que faz contado visual. Phodeu se passar a mão na cabeça...

Vamos lá, esse é um blog para desabafo, então é muito bom (para mim) que ninguém conhecido venha ler o que escrevo aqui. Semana passada, minha mãe me arrastou até a casa da minha tia. Amo essa tia minha, mas sair de casa, para um local cheio de gente, não é bem um passeio para mim. Parece mais uma punição.

A família é grande, então tinha muita gente que conheço, fora os agregados (namorado de uma, namorada do outro, amigos de não sei quem). Depois de falar com minha tia, me esgueirei sorrateiramente para a frente da casa e sentei na mureta, tomando um solzinho bem fraco a tarde.

Ali passar um e passa outro, mas ninguém fica, no máximo, cumprimenta.

Luka



Apelidei meu primo de Luka por causa desse anime
Lá vem meu primo antissocial. Sentou do meu lado, ofereceu um cigarro e só balançou a cabeça para demonstrar que entendeu, quando eu disse que tinha parado. Resmungou alguma coisa a respeito da casa estar cheia e simplesmente ficou ali, sem conversar, fumando e olhando o movimento da casa.

Sua aura é meio assustadora. Sempre de cara fechada, cumprimenta com um ar tão frio, que as pessoas só dão tchauzinho de longe. De uma certa forma, isso foi confortável, pois eu não queria assunto mesmo.

Ele deve ter uns 30 anos, já foi casado (acho que já falei isso, né?) e deve ser advogado. Muito alto (muito mesmo, até eu fico pequeno perto dele), magro, branco como eu e o cabelo preto bem liso.

Quando eu tinha uns dez anos de idade, ele levava eu e o irmão mais novo dele para tomar sorvete e, às vezes, ficava de babá na praça para a gente poder andar de bicicleta.

Depois de um tempo, ele sumiu. Deve ter ido fazer faculdade e casou. Não lembro de ter tido festa, mas lembro que a esposa dele era intragável.
Pensando bem, já faziam uns três anos que eu não via o Luka

Documentos


Na segunda-feira ele veio pegar uns documentos que minha mãe deixou separado. Minha irmã estava inteirada do assunto, inclusive foi ela que entregou a pasta. Fiz um café e ele sentou do outro lado do meu notebook, ligando o dele para usar o Wi-fi. Ficou um pouco mais de uma hora, sem conversar muito, pois o que ele estava fazendo parecia importante e requeria bastante atenção.

Enquanto eu falava com o Wise pelo Skipe, levantava o olhar para ele de vez em quando. Poucas vezes ele olhou na minha direção. Eu não gosto de ficar sozinho com estranhos e, se não fosse a Amanda estar no quarto, provavelmente teria um ataque de pânico...

Dai você pergunta: "Mas o cara não é teu primo?" É, mas faz tempo que eu não tenho contato com ele, não tenho assunto, não tenho intimidade.... e isso é o suficiente para eu me sentir mal...

Bem, esse jeito calado e formal dele, de certa forma, me faz bem.

No meio da semana, ele voltou com os tais documentos para minha mãe assinar. Estava um calor infernal e a Amanda reclamou que queria tomar sorvete. Ele disse que era uma boa ideia e convidou pra gente ir na padaria. Cara, eu não ia deixar minha irmã ir na padaria sozinha com ele, mesmo sendo da família. Essa história de pedofilia (que eu fui acusado injustamente) andou fazendo voltas na minha cabeça. Porém, antes que eu pudesse falar alguma coisa, ele disse que eu também estava convidado.


Ela é fofa, mas às vezes...
Tudo bem que minha irmã ia estar junto, mas eu não saio sozinho nem a pau! A Amanda me olhou com um ar tão suplicante, que fiquei com dó. Ela saiu na frente, dizendo que eu sofro de uns "PPs" (problemas psicológicos) e não ia querer sair. Cara, fiz das tripas o coração (ditado da vovó) e fui com eles. 

Meu, a Amanda segurou minha mão o tempo todo, pois na cabecinha dela isso ajuda. Não vou dizer que atrapalha, mas achei tão bonitinho da parte dela, protegendo o irmão mais velho. Só que tudo tem consequências... Ela estava a vontade demais e quando isso acontece, ela fica tagarela. Quando ele perguntou sobre as novidades, só para puxar assunto (incrível ele fazer isso, mas acho que a idade da Amanda, deixa ele mais... ou menos... bem, ele tenta ser mais agradável).

Adivinha o que ela respondeu? "Só o Gaby que anda chorando porque levou um fora do namorado virtual dele." Quase engasgo com o sorvete, fiquei roxo, sem ar e procurei um buraco para entrar dentro!! Eu queria morrer!!

Não sei que cara ele fez, pois não tive coragem de olhar para o Luka. Ele nos deixou em casa, dizendo que tinha uma reunião. O silêncio só não pairou no ar, porque minha irmã estava falando sem parar do Facebook dela.