quarta-feira, 5 de março de 2014

Carta para Pedro


Fiquei imaginando o que levaria você a tomar essa atitude comigo. Um dia diz que me ama, que vai ficar ao meu lado e que vai cuidar de mim. Depois para de responder minhas mensagens e fica distante... me exclui e bloqueia do único meio de comunicação que tínhamos, o Twitter.
Implorei de todas as formas que pude para você falar comigo, ao menos dar uma explicação do por que não queria mais falar comigo, precisava de pelo menos um adeus decente.
Não vou fazer como você fez em uma discussão que tivemos, falando de "tudo que você fez por mim", pois todas as minhas atitudes foram de atenção e carinho, mas por coisas que eu decidi fazer. Você postou que se chateia por pouco... Sabe, Pedro, eu não me chateio por pouco não, pois quando comecei a ficar chateado, já faziam dois dias que você estava me ignorando, dando desculpas bem frágeis, e eu preferi fechar os olhos só pra não tumultuar. Não adiantou, né?
Você deve ter ficado chateado com coisas que eu retwittei ou escrevi e simplesmente me deletou da sua vida, assim, bem fácil. Já percebi que seus motivos eu nunca vou saber, pois você fez questão de me descartar.
Estou sofrendo muito com a sua falta, muito por não entender suas atitudes e muito por estar vendo que não signifiquei absolutamente nada pra você. Talvez uma brincadeira, vai saber.
No meio de tudo isso, fiquei imaginando que eu pudesse estar sendo muito duro, que você viria falar comigo depois e que, independentemente de qualquer coisa, eu aceitaria o que você dissesse e ficaria feliz com a sua volta...
O pior disso tudo é que eu tenho esperança que isso aconteça, mesmo que seu motivo seja egoísta ou bobo, mas e depois?
Depois eu vou viver um relacionamento frágil, com medo de você sumir quando eu fizer qualquer coisa que te desagrade, pisando em ovos e preocupado de não dançar conforme a sua música. Não quero isso pra mim. Prefiro me arrebentar agora, chorar e me afundar tudo que eu puder do que viver com medo de você me virar as costas como está fazendo agora.
Não Pedro, você está errado. Independentemente do que pensou, você está errado. Eu te amo de verdade, você é minha luz mais brilhante e não estou desistindo de você. Não tenho como desistir de um amor, mesmo você me machucando, me pisando e me humilhando dessa forma, pois não aprendi a abrir o meu peito e tirar de lá os sentimentos que eu nem sei como nasceram.
Não desisti, mas não vou mais insistir.
Vou recolher meus cacos e guardar em um lugar seguro para colar quando eu tiver condições de fazer isso.
Por que você entrou na minha vida se não era pra ficar?!
Eu sou tão imbecil, que nem consigo ter raiva de você, mesmo agora. Estou magoado, arrasado e fora do meu eu normal, mas só sei pedir pra você voltar...
Você não disse adeus e eu também não quero dizer, mas tem uma longa estrada na minha frente, que eu vou ter que trilhar sozinho, sem você comigo... isso é desesperador.
Te amo. Perdão se eu te magoei de alguma forma ou se sou diferente daquilo que você quer pra sua vida. Perdão se eu não sirvo pra te amar do jeito que você quer. Um dia você vai encontrar alguém pra te fazer feliz e é uma pena que você acredite que essa pessoa não sou eu.