segunda-feira, 3 de março de 2014

Paranóia



Agora chegou a hora do desabafo... ou melhor, da reclamação.
Tem coisas que não quero ver. Tipo, ele curte minhas mensagens, mas não retwita. Isso significa que os amigos dele não veem o que eu escrevo (só os meus).
Eu puxo assunto na maioria das vezes, pois ele diz que sofreu demais e tem trauma de correr atrás... (eu corro).
Ele me deixa falando sozinho quando fica nervoso e isso me mata! Mando mensagens quando ele não pode responder, na esperança dele comentar depois... nada, nunca nada...
Stalkeio e sofro. Queria fazer um Facebook, só para poder ver o que ele posta, mas quando disse que faria um, ele só riu e desconversou.Se você é paranoico e já se apaixonou, sabe o que estou falando!
Estou sofrendo tanto, me agarrando em alguns detalhes, fingindo não ver outros... Subindo e descendo, do céu para o inferno, em um ciclo interminável... Sei que vou surtar logo.
É claro que eu não quero me afastar do meu amor, só quero que ele me dê atenção! Só que também sei, que a forma mais fácil de você não conseguir isso, é implorando. Não estou falando só em relação ao meu amor, pois funciona exatamente assim com qualquer um a minha volta.
Deus! Por que tem que ser sempre assim comigo? Parece que é só eu gostar de alguém, que me torno rapidamente um fardo pra essa pessoa?! Amor, amizade, relações familiares... sou tão carente a ponto das pessoas me deixarem de lado, pois não aguentam minha presença?
Sábado, já passava das 22h quando mandei uma mensagem dizendo que ele tinha falado comigo pela ultima vez às 3h45 e que eu tinha sentido sua falta mais um dia. Nesse tempo eu tinha mandado várias perguntas, tentando puxar assunto, mas ele simplesmente não respondeu. Também disse que percebi estar obcecado por ele e que isso não era bom pra nenhum de nós... Então prometi que ia tentar controlar meus excessos.
Passei mais uma noite em claro, só conseguindo dormir depois das quatro da manhã. Evitei entrar no Twitter, pois eu ia ficar postando coisas que talvez eu me arrependesse depois. Prometi diversas vezes a mim mesmo que não ia ficar puxando assunto no outro dia, nem que isso custasse minha vida.

Domingo


Acordei tarde, com dor na mão de tanto apertar o celular, na esperança de sentir ele vibrar e acordar se meu Pedro mandasse uma mensagem, mas ela só vei as 11h, dizendo um tímido "Oi amor."
Dei bom dia e disse estar com saudades. Esperei ele responder alguma coisa, ficando com o olho pregado na tela do celular, mas a próxima mensagem só veio às 14h: "Eu não ando muito bem. To meio desanimado da vida, nem na net fico mais."
Exatamente, o que é para eu entender nessa mensagem?
Primeiro ele não estava falando muito comigo porque a net dele estava ruim, agora é porque ele que não está muito bem? Qual a parte de eu ser completamente paranoico ele não entendeu?
Ele não precisava me falar aquilo que eu estava me esforçando para mentir a mim mesmo que não tinha visto! Respondi "Estou percebendo, meu amor." e fui passar roupa, pois minha vontade era de falar e falar coisas que ia fazer ele brigar comigo e no final eu ainda pediria desculpas por ter explodido!
Precisa falar que meu dia acabou ali? 
7h20 meu amor mandou outra mensagem: "Te amo, e estou percebendo que você está perdendo o encanto por mim."
Demorei mais de uma hora para conseguir responder essa. Primeiro eu chorei muito, me sentindo muito mal por ter ficado com raiva dele quando li isso. Será que ele realmente não está percebendo o que está fazendo comigo?! Pra quem disse que sofreu muito por ter corrido atrás de alguém que não deu valor pra ele, não vê o quanto está me fazendo sofrer?
Deve ter rido quando eu disse no outro dia que ao ler as mensagens dele, eu percebia que seu tom de voz estava diferente... mas é verdade... ou é verdade para alguém tão paranoico quanto eu. 
Minhas resposta: "Acho que é o contrário. Você que está distante e mal responde. Te amo muito e estou sentindo muito a sua falta.", "Passei dois dias precisando da sua atenção e ontem disse que ia parar de te chatear." e "Amo você, mas está doendo perceber que na verdade ando te importunado..."
Ele não respondeu nada... e eu perdi mais uma noite de sono.

O que eu faço?


Eu sei que não vou receber resposta nenhuma a essa pergunta, mas eu queria muito mesmo saber. 
Eu reconheço esses sintomas, mas nunca sei agir de maneira correta com eles. No final, eu sempre saio arrebentado... É claro que ele também vai me deixar...
No final, o culpado sempre sou eu mesmo das pessoas que amo irem embora. Por um motivo ou por outro, por pouco ou por muito, o resultado é sempre o mesmo...
Sabe... Continuo lutando, todos os dias, contra essa imensa vontade de acabar com tudo. Eu me agarro a cada fio de esperança das coisas mudarem pra melhor, mas eles se desfazem entre meus dedos...  Eu quero mesmo fazer dar certo, mesmo quando está na cara o que vai acontecer... E assim eu me arrasto, um dia a mais nessa minha tristeza que não tem fim...

Te amo tanto garoto! Vou continuar correndo atrás, mesmo sabendo que você está indo embora. 
(Visualizei aquelas cenas onde um está dentro do carro, olhando o outro que corre desesperado no lado de fora...)

Preciso ir dormir, pois o cansaço me pegou.