sexta-feira, 21 de março de 2014

Invisível

Ando me sentindo meio invisível. Se fosse só no mundo virtual, eu nem ligaria muito, mas estou falando do meu dia a dia. Acho que me escondo tanto do mundo, que até meus amigos e familiares estão desistindo de mim. 
Minha mãe é baladeira pra caramba e é do tipo que vai em todas as festas e eventos familiares, seja em aniversários ou reunião de tupperware. Ela tem uma clínica veterinária, mas todo tempo livre não é usado para ficar em casa. Ela carrega minha irmã para tudo que pode. Chegaria a ter dó se isso não me desse aquele descanso de poder ficar sozinho em casa.
Só que esse ano, eu andei reparando que as pessoas não estão me incluindo em seus planos. Tipo a cara de espanto da minha mãe quando ela diz: "Você vai?!"
Espera, tem pessoas da família que eu gosto e pretendia ir em um aniversário ou almoço de domingo sim, mas... rs... minha mãe prefere levar a amiga dela com os dois filhos menores (que tem mais ou menos a idade da minha irmã), do que contar com a minha presença.
Namorei 4 meses com o Luka e praticamente passava todos os finais de semana na casa dele. Esse tempo foi o suficiente para minha mãe deixar de contar comigo em seus planos? Certo, ela ficou muito decepcionada quando recusei o pedido de ir morar com o Luka, mas imaginei que seus motivos iam além de um quarto vago dentro de casa ou uma vaga a mais no carro dela.

Meu Segredo Virtual

 

Bem, tenho meus problemas quando o assunto é comunicação, pois uma deficiência nas pregas vocais me deixaram um tanto quanto mudo. Não completamente silencioso, mas bem próximo disso. Como a maioria das pessoas não conhecem LIBRAS (Linguagem Brasileira de Sinais) eu ando com meu bloco de notas e caneta no bolso da calça.
Linguagem Brasieleira de Sinais - LIBRAS
Esse é um dos motivos para eu não trocar de psicóloga... pois encontrar profissionais que eu não precise ficar escrevendo não é tão fácil assim.
Muitas pessoas, até mesmo da minha família, se afastam por constrangimento. Já costumei com isso. Gente, pode falar normal comigo, pois escuto perfeitamente! Você só vai ter o trabalho de esperar para ler a maioria das minhas respostas e perguntas... acho que é por esse motivo que eu gosto tanto do mundo virtual...
Não é só porque as pessoas não tomam conhecimento desse meu problema, mas aqui posso me comunicar perfeitamente.
Não nego que doeu o Wise ter dito uma vez que queria ouvir minha voz... 
Também queria ter contado isso a mais tempo para minha amiga do coração, a Tai, mas tive vergonha de não ter falado isso antes... (perdão, flor...)
O post nem era pra isso, mas o assunto acabou vindo a tona.
Eu estava falando de ser invisível. No mundo real eu entendo as pessoas não conversarem muito comigo, mas isso acaba acontecendo também pela internet. Tento dar atenção para todo mundo que posso, mas a recíproca nem sempre é verdadeira. Não, nunca é verdadeira.
Enquanto o ser pode despejar seus problemas e frustrações em você, beleza, mas passou disso, você não tem um amigo para bater papo.
Geralmente sou eu que puxo assunto, uma, dez, vinte vezes... dai percebo que estou enchendo o saco, pois a pessoa não tem mais motivos para falar comigo, então me afasto. Fico triste e até esperançoso que aquela criatura sinta minha falta e me procure, mas isso nunca acontece.
Nessas horas é que me sinto cada vez mais descartável.
PS: Post escrito antes de conhecer o Bruno e o Nando, que não caras muito, muito legais!