segunda-feira, 10 de março de 2014

Vida Amorosa Inexistente.

Há duas semanas eu estava muito feliz, mas essa minha felicidade estava baseada em fatos que não passaram de mentiras. Dizer coisas importantes como: "Amo você" e depois simplesmente desaparecer não é legal, mas falar isso para algumas pessoas parece tão fácil.

Como eu disse no Twitter, ficar reclamando da inexistência da minha vida amorosa não vai trocar meu status de solteiro, mas também não sei se quero trocar.

Minha irmã diz que eu vivi uma paixonite pelo Pedro, que até poderia virar algo maior se nós tivéssemos tempo, mas que ele não queria um relacionamento de verdade, mas só alguém para levantar seu ego ferido e mostrar para alguém que ele estava bem.

Deve ter funcionado. 

Não quero fazer isso com ninguém, até mesmo porque isso faria parecer que sou uma puta, toda semana gostando de alguém diferente.

Fui apaixonado pelo Wise e sofri até entender que meu coração não podia ter quem eu queria, mas ficou a amizade. Tive um relacionamento com o Luka e tentei verdadeiramente gostar dele, mas mesmo tentando tanto, não deu.

Desde o princípio ele sabia que eu gostava de outra pessoa, mas quis tentar. Nunca menti ou enganei. No começo estava bom para ele, mas quatro meses foram o suficiente para ter certeza que esse namoro não ia ser bom para nenhum dos dois. Terminei quando conheci o Pedro.
Infelizmente, o Pedro não passou de uma ilusão que vivi intensamente. Se ele voltasse hoje, eu não ia querer nem a sua amizade, pois a forma que ele me tratou machucou demais.

Seguindo em Frente


Quero muito encontrar uma pessoa para conversar, paquerar, trocar mensagens e atenção, mas se tem uma coisa que não sei fazer é caçar. Tem um cara que parece bacana, mas nem tenho certeza que ele é gay (ou ao menos bi) e falar a verdade, não quero perguntar, pois a resposta pode vir de forma desagradável.

Também não vou me jogar de cabeça em um próximo relacionamento e cometer o erro de grudar e sufocar a pessoa. Acho que para falar da minha vida e meus problemas, também é melhor ter mais cautela, pois as pessoas tem curiosidade, mas não querem realmente saber...

De todo jeito, como diria a Dory: "Continue a nadar, continue a nadar..."